Blog

Objetivos do acompanhamento nutricional na obesidade

Uma alimentação equilibrada e bem planejada é, antes de tudo, uma proposta de um estilo de vida, que estimula maior atenção ao que se come. Mas nem todos os indivíduos têm uma alimentação equilibrada. Nestes casos é necessário uma reeducação alimentar. E o papel do nutricionista é primordial em sua  implantação  que garante a ingestío de todos os nutrientes necessários para o organismo, sendo ao mesmo tempo uma alimentação prazerosa, pois não priva o indivíduo nem mesmo dos alimentos mais calóricos.

Este profissional irá detectar os maiores problemas relacionados à alimentação do paciente para auxiliá-lo na correção dos mesmos. Assim, gradativamente, os conceitos de uma boa alimentação serío incorporados pelo paciente e sua rotina alimentar irá se modificando. Trata-se de um processo lento e que respeita o ritmo de cada pessoa. Neste processo, o cliente participa ativamente e aprende a estruturar sua rotina alimentar, seja em casa com seus familiares, seja no trabalho, e em eventos sociais. Toda mudança de comportamento é difícil e requer dedicação. Durante o tratamento o paciente é parte ativa do processo e o sucesso está intimamente relacionado com o grau de comprometimento e compreensão de todo seu conteúdo.

Inicialmente se faz uma avaliação clínica e laboratorial com o médico que o acompanha. Em seguida, ele será encaminhado à nutricionista para a avaliação nutricional. O seguimento será sempre feito pelos dois profissionais, cada um atuando em sua área. No decorrer do tratamento, repetem-se algumas avaliações, para que se possa monitorar, de forma mais precisa, as modificações alcançadas.

Avaliação nutricional

A avaliação nutricional tem como objetivo medir as condições iniciais do paciente em relação a seus hábitos alimentares, sua composição corporal e gasto calórico basal, possibilitando realizar uma intervenção adequada, visando à recuperação, como também à manutenção da saúde.
Existem vários métodos de avaliação nutricional e a associação entre eles auxilia no diagnóstico nutricional preciso.

Os métodos mais usados são a  anamnese alimentar, bioimpedância e calorimetria.

Anamnese alimentar
Consiste em fazer um levantamento dos hábitos alimentares. Seus gostos, preferências, número de refeições, horários, locais das refeições, forma de preparo dos pratos e outras informações. Estas informações são importantes para a elaboração do planejamento alimentar, que deve promover a manutenção de suas preferências e evitar a monotonia.

Bioimpedância
A bioimpedância é um exame que avalia com precisão e rapidez a composição corporal. Por meio de uma corrente elétrica imperceptível é possível avaliar a massa gordurosa, a massa magra e a água corporal.

Este tipo de avaliação corporal tem diversas aplicações, como por exemplo o acompanhamento de enfermos hospitalizados,  avaliação da performance de atletas,  acompanhamento em programas de perda, ganho ou manutenção do peso corporal e verificação das alterações ocorridas na composição corporal naqueles que passam a realizar exercícios físicos.

Em alguns casos, o participante tem o Índice de Massa Corporal adequado, ou seja, seu peso está adequado para a sua altura, mas a composição corporal não corresponde aos padrões ideais, pois a massa gordurosa está em excesso. O contrário também pode acontecer, como no caso de atletas, que tem seu peso elevado, mas por excesso de massa muscular o que não constitui inconveniente.

A aplicação do exame no início e durante o tratamento dietético, permite avaliar com precisão as variações ocorridas na composição corporal. Os melhores resultados são obtidos quando se concilia a prática de exercícios físicos adequados e a reeducação alimentar. As variações podem ser facilmente verificadas por meio da comparação dos exames realizados.

Pessoas com desfibrilador implantado não devem fazer o exame, devido à interferência do sinal elétrico com o desfibrilador, assim como as gestantes.

Para efetuar todos os cálculos e gerar os laudos e gráficos de avaliação, os dados necessários são: sexo, peso, altura, data de nascimento, quantidade de exercício físico e os valores de bio-resistência medidos.

Calorimetria
A calorimetria indireta é um exame utilizado para medir a Taxa de Metabolismo Basal (TMB). A TBM mostra quanto o organismo gasta quando está em repouso. Há um gasto calórico substancial mesmo em repouso, porque o organismo gasta calorias para manter suas funções vitais, como batimentos cardíacos, respiração, função cerebral, etc.

Cada pessoa tem a sua própria taxa metabólica basal. Duas pessoas com mesma idade, sexo, peso e altura provavelmente terío metabolismos energéticos diferentes.

O exame é realizado em consultório e dura aproximadamente 20 minutos e sem qualquer inconveniente ou incômodo. É necessário estar em repouso, em ambiente calmo e completamente relaxado. Consumo de alimentos, atividade física, situações estressantes e uso de estimulantes (cafeína, por exemplo) podem elevar o metabolismo e devem ser evitados nas horas que antecedem o exame.

O participante respira em uma máscara (semelhante à usada em inalações) que é ligada diretamente ao aparelho para que a quantidade de oxigênio eliminada seja medida. Os dados fornecidos são entío inseridos em um programa de computador que  fornece a taxa metabólica basal do paciente em Kcal/dia.

A Bioimpedância, usada em associação à Calorimetria, fornece dados muito importantes na estratégia de tratamento, considerando que são dados individualizados e não estimados.

Utilizando-se a TMB, a atividade física e o objetivo a ser atingido para cada um – quer seja a manutenção,  a perda ou o ganho de peso - determina-se qual a ingestío calórica diária ideal para cada caso.

Christie Willis Spadío
Nutricionista
CRN 34012
Voltar