Blog

O que é e como tratar gigantismo e acromegalia?

Localizada em uma regiío central do crânio, encontramos aquela que pode ser considerada a nossa “glândula mestre”: a hipófise. É dela a responsabilidade de produzir diversos hormônios, que por sua vez regem o funcionamento de outras glândulas como a tireóide, as adrenais, os ovários e os testículos. Entre estes hormônios encontra-se o Hormônio do Crescimento ou GH (que abreviamos do inglês Growth Hormone) como é geralmente conhecido. Este hormônio apresenta é fundamental para nosso crescimento a partir da infância e continua a desempenhar atividade durante toda a vida adulta. Alterações na hipófise podem levar tanto à falta deste hormônio, quanto à produção excessiva gerando entío o gigantismo e a acromegalia.

É durante a infância e adolescência que o GH modula de forma preponderante o nosso crescimento, atuando sobre outros hormônios que vío regular o desenvolvimento das cartilagens de crescimento, que são regiões dos ossos responsáveis por nosso crescimento em altura. O gigantismo é uma doença em que existe um tumor nas células que produzem o GH na hipófise durante a infância ou adolescência levando a um aumento em sua produção. Em consequência disto os jovens apresentam crescimento em altura muito exagerado para o que seria esperado para a genética de sua família. Algumas vezes encontramos esses casos de “gigantes” na mídia, que buscam auxílio para o tratamento de sua doença.

Contudo, durante nossa vida adulta o GH também é necessário,  mas não mais em nosso crescimento – ele regula entre outras coisas nossa massa muscular e nosso metabolismo em geral. Também nessa faixa etária pode haver o surgimento de tumores que produzem excesso de GH na hipófise, situação que entío chamamos de acromegalia. Mas neste caso, como as cartilagens de crescimento já se fecharam, não observamos mais o crescimento em altura do indivíduo mas sim o das extremidades (míos e pés), face (nariz e queixo) e até mesmo perda da visão devido a expansão da hipófise dentro do cérebro. Outros sintomas são dores articulares, inchaço nas míos, sudorese excessiva, dor de cabeça contínua e até alteração na personalidade com comportamento agressivo. Os afetados começam a observar que o número do sapato passou a aumentar e que  seus anéis não se encaixam mais nos dedos.

Tanto nos casos de suspeita de gigantismo ou acromegalia o fundamental é buscar auxílio do endocrinologista. O diagnóstico é feito com medida de hormônios, incluindo testes especiais, e auxílio de imagens da hipófise. Com tratamento adequado, que pode incluir medicações ou cirurgia, existem ótimas possibilidades de controle da doença evitando-se assim suas possíveis complicações, quanto mais precoce for o diagnóstico.

Dr Gustavo Akerman Augusto
Endocrinologista
CRM 112057
Voltar