Blog

Métodos para avaliação da gordura corporal

A maneira mais utilizada para verificar se um indivíduo está acima do peso é o cálculo do IMC (índice de massa corpórea) que é a divisão do peso (em quilogramas) pelo quadrado da altura (em metros). IMC acima de 24,9 indica sobrepeso e acima de 29,9 indica obesidade.

Apesar da praticidade e da grande utilidade na maioria das situações, em alguns casos este método apresenta falhas. Por exemplo, um indivíduo musculoso, seria classificado como obeso usando-se o IMC, quando na realidade possui taxa de gordura corporal normal.

Com o intuito de fornecer mais informações sobre a composição corporal, foram desenvolvidos métodos para avaliação de gordura e massa magra (músculo) mostrados abaixo.

PREGAS CUTÂNEAS (dobras “da pele”)
Amplamente utilizada devido à simplicidade e baixo custo, consiste no uso de um aparelho portátil chamado adipômetro (parecido com uma grande pinça), que mede a gordura localizada em diversas regiões corporais e calcula a porcentagem de gordura corporal por meio de uma fórmula matemática. Apesar da facilidade na prática clinica, este método não apresenta uma boa acurácia, pois o resultado depende de uma série de fatores sujeitos a variabilidade: examinador, adipômetro utilizado e a própria equação aplicada (existem diversas disponíveis).

BIOIMPEDÂNCIA ELÉTRICA
É um método baseado na condução de uma corrente elétrica de baixa intensidade através do corpo. A diferença de condução entre os tecidos corporais (gordura e músculo), associada ao cálculo da quantidade de água corporal, permite a estimativa da taxa de gordura e de massa magra. Utiliza balança ou eletrodos colocados nas pernas e no braço do paciente. É um método prático, de fácil execução, portátil, rápido e com boa acurácia, porém, por ser uma medida indireta, pode apresentar variações no resultado. Buscando minimizar a ocorrência de fatores que possam prejudicar a avaliação, algumas orientações devem ser obedecidas:

- jejum de pelo menos 4 horas
- não realizar exercícios físicos 12 horas antes
- abstinência de álcool nas 24 horas anteriores
- não utilizar medicações diuréticas nos 7 dias precedentes
- no caso de mulheres: não deve ser realizado em períodos do ciclo menstrual que cursem com retenção hídrica.

Deve-se alertar para o fato de o uso da balança que é mais difundido e empregado em clubes e academias de ginástica não usa eletrodos mas tende a superestimar a gordura corpórea.

DENSITOMETRIA DE CORPO INTEIRO (DEXA)
A densitometria é considerada o exame padrão na avaliação da massa óssea para o diagnóstico de osteoporose, mas pode ser utilizada na avaliação da composição corporal pela medição da massa magra e massa gorda. Como vantagem em relação aos outros métodos, possui capacidade de avaliação regional, permitindo medir a taxa de gordura abdominal e dos membros (braços e pernas). Assim, contribui para a estimativa da gordura visceral (tecido gorduroso abdominal associado a aumento do risco de doenças cardiovasculares, como infarto e derrame). Como desvantagens, possui exposição a radiação (apesar de ser extremamente baixa), e apresenta maior custo devido ao emprego de equipamento caro de alta tecnologia.

PRINCÍPIO DE ARQUIMEDES
Se soubermos o peso da pessoa medido ao ar livre e o obtido mergulhando-o completamente em uma piscina de água calcula-se a densidade corporal: quanto mais baixa, maior o teor de gordura. Este procedimento mais exato é impossível na prática clínica. Uma alternativa é obter o peso e colocar a pessoa dentro de uma câmara ermeticamente fechada que permite calcular quanto aquela pessoa ocupa de espaço dentro câmara (volume do corpo). A relação peso sobre o volume ocupado é ótima medida da densidade, consequentemente da gordura, mas o equipamento é muito caro, toma espaço nos consultórios e leva muito mais tempo de análise do que a bioimpedância. Em consequência o custo do procedimento é elevado.

Dr. Rafael Nardini Queiroz Pergher 
Endocrinologista
CRM 116112

2017 - Todos os direitos reservados.Agência Giga  Agência Giga