Blog

Acne: causas hormonais e não-hormonais

Acne vulgar é uma lesão inflamatória da unidade pilo-sebácea (estrutura da pele constituída do pêlo, folículo piloso e glândula sebácea). As lesões características podem ser comedões abertos (escuros) ou fechados (claros), pápulas inflamatórias, pústulas, nódulos ou cistos que podem levar a cicatrizes permanentes e alterações na pigmentação cutânea. As lesões ocorrem principalmente na face, pescoço, dorso e região torácica.

Embora seja mais prevalente na adolescência, pode ocorrer em qualquer fase da vida em ambos os sexos. Entre os adolescentes a frequência e a severidade da acne, assim como a tendência a cicatrizes são maiores no sexo masculino. Já a acne do adulto é mais freqüente no sexo feminino. A acne tem um impacto significativo na qualidade de vida do paciente, afetando tanto a auto-estima, quanto o desenvolvimento psicossocial. A avaliação clínica é essencial para estabelecer a causa da acne e indicar o melhor tratamento.

Há quatro fatores principais envolvidos na origem da acne: hipersecreção sebácea, alteração no processo de queratinização da pele, proliferação bacteriana (Propionibacterium acnes) e inflamação.

As causas hormonais de acne incluem todas as situações que resultam de secreção aumentada dos andrógenos (hiperandrogenismo, ou seja, o aumento dos hormônios masculinos) tanto nos homens quanto nas mulheres.
Desta forma, a presença de acne na fase da puberdade é normal em ambos os sexos, sendo causada pelas modificações hormonais inerentes a essa fase do desenvolvimento. No entanto, acne de aparecimento mais precoce ou mais tardio merece uma investigação detalhada.

Além de acne, o hiperandrogenismo causa seborréia, aumento de pelos (hirsutismo) e queda de cabelo (alopecia). Dentre as causas de hiperandrogenismo no sexo feminino, podemos citar: síndrome dos ovários policísticos, doenças da glândula supra-renal e uso de medicamentos que contém hormônios. Nas mulheres acima de 25-30 anos com acne de aparecimento recente e na presença de outros sinais de hiperandrogenismo devem ser submetidas à avaliação hormonal minuciosa, bem como exames de ultrassom dos ovários e das glândulas supra-renais. Por outro lado, aparecimento de acne em crianças antes da idade de puberdade normal também exige investigação hormonal, pois pode se tratar de precocidade sexual em ambos os sexos. 

Diversos tratamentos para acne estão disponíveis e objetivam reduzir a gravidade e a recorrência das lesões cutâneas, bem como melhorar o aspecto estético. No entanto, identificar a causa é fundamental para instituir a melhor opção terapêutica que dependerá da gravidade, idade do paciente, preferências e histórico de tratamentos anteriores. Os tratamentos podem atuar em todos os fatores causadores da acne. 

O tratamento pode ser tópico (externo, somente no local) ou sistêmico (uso de medicamentos) Desta forma, algumas modalidades incluem tratamento tópico (nos casos leves ou moderados) com retinóides e antimicrobianos. Alguns produtos dermatológicos como sabonetes, gel, esfoliantes são úteis para pele oleosa e ao contrário, hidratantes, pomadas, cremes podem auxiliar nos casos de pele ressecada. O uso indiscriminado de produtos de balcão de farmácias também é muito comum e os pacientes devem evitar utilizá-los sem orientação médica. Alguns cremes e protetores solares, por exemplo, podem ao invés de auxiliar no tratamento, agravar o quadro clínico. Acne moderada e severa exige tratamento sistêmico que inclui antibioticoterapia oral, terapias hormonais como o uso de contraceptivos orais que contenham estrógenos, medicações anti-androgênicas e finalmente a isotretinoína (Roacutan ®), que interfere em todos os processos que causam a acne. O tratamento com isotretinoína deve ser rigorosamente acompanhado pelo especialista devido a possibilidade de produzir efeitos colaterais.

Há diversos tratamentos cosméticos, incluindo extração manual de comedões, peelings químicos, injeção local de corticoides, terapia fotodinâmica, laserterapia para cicatrizes dentre outros, porém as evidências científicas para indicá-los são limitadas. Ao contrário do que pensam os leigos, dieta e higiene parecem ser fatores com pouca influência na origem da acne.
O bom sucesso no tratamento da acne depende de interação entre o dermatologista e o endocrinologista. 

Dr Vinicius Nahime de Brito
Endocrinologista
CRM 84778

2017 - Todos os direitos reservados.Agência Giga  Agência Giga